Tratar água já é algo bastante conhecido, adotando-se tecnologias apropriáveis. Já no tocante a tratamento de esgotos há uma diversidade imensa de tecnologias, grande parte delas ainda não apropriáveis. É a constante busca de tecnologias que, conforme figura abaixo, evidencia as várias formas de tratamento de água e de resíduos dos processos de tratamento:

Água Esgotos Resíduos Sólidos

O compromisso do Sistema Water Database é disponibilizar aos seus associados, o estado da arte em tecnologia de tratamento, bem sistemáticas de comissionamento, diligenciamento, start up, pré-operação, descomissionamento, e enfim os manuais de operação e de manutenção.

Qualquer fornecedor de tecnologia que tenha interesse em difundir seus produtos, encontrará no Sistema WDB uma gama de assinantes, que constitui o WDB PEOPLE (Comunidade WDB). Assinando o Sistema, coloca sua tecnologia a serviço de quem dela necessita. E não são poucas as demandas do Setor de Saneamento, na medida da evolução do tratamento de água:

  • Filtração
  • Cloração
  • Clarificadores
  • Flotação
  • Ultra violeta
  • Ozônio
  • Membranas e Filtração (MF/UF/OR)
  • Oxidação avançada
  • Resinas de troca iônica
  • Ultrafiltração e Osmose Reversa Para:
    • Qualquer fonte: água de rio, de poço, municipal, mar
    • Sistema automatizado
    • Compacto e elevada performance

Osmose Reversa 1

Osmose Reversa 2

Vejam as referencias mundiais de osmose reversa, importante tecnologia para um planeta com cada dia menos disponibilidade de água às populações:

Osmose Reversa no Mundo

Osmose reversa no mundo

Já no tocante ao tratamento de esgotos, percebe-se a seguinte evolução:

  • Filtros biológicos 
  • Lagoas anaeróbicas e aeróbicas
  • Lodos ativados e suas variações (sequenciais / bateladas / MBBR)
  • Tratamento anaeróbio (UASB) seguida de lodos ativados
  • Lodo ativado com remoção de nitrogenio e fósforo
  • Tratamento por membranas (MBR)

Há forte tendência de ETE´s construídas em edifícios de vários andares, praticamente sem emissões de ruídos, gases, odores, com menor produção de resíduos sólidos (Fonte: Híria).

As seguintes tecnologias tem sido evidenciadas no Setor de Saneamento, conforme figuras a seguir:

Lodo Ativado

As seguintes tendências tem sido percebidos, fruto de intensa pesquisa do Sistema Water Database:

Conventional Multi

  • Substitui a clarificação convencional e a filtração.
  • Combina as características da separação física de uma membrana com o tratamento biológico.
  • Produz um efluente de alta qualidade consistentemente.

A título de ilustração, detalha-se importante tecnologia MBR submerso:

  • Maior Remoção de Sólidos Suspensos (< 5 ppm SST)
  • Maior Eficiência de Remoção de DQO
  • Maior carga volumetrica comparado ao tratamento convencional
  • VANTAGENS: -> Área necessária = cerca de 2,5 vezes menor do que o tratamento convencional. -> Possibilidade de reuso do efluente tratado.

Outra tecnologia relevante é relativa a ÁGUAS DE REÚSO, pois a Indústria tem sido desafiada todos os dias a fazer mais com menos, tendo como desafios Futuros as Tecnologias existentes, visando atender estes desafios. Por exemplo: Melhorar a produtividade dos processos, aumentar a confiabilidade, eficiência e reduzir custos totais.

FUNDAMENTOS e OBJETIVOS DO REÚSO (Fonte: Veolia):

Fundamentos - tratar os efluentes domésticos e industriais para um nível de qualidade superior, visando um uso nobre ao invés de descartá-la no meio ambiente (mar, rio, etc). Significa transformá-los em um recurso alternativo, valioso para diversos tipos de usos (mas não necessariamente precisando atender padrões de potabilidade).

Objetivo - Fornecer água que após submetida a tratamentos adequados, não apresentará riscos para o uso previsto

O Principal resultado do reuso de água está diretamente ligada a produção mais limpa. O reuso permite reciclar a água de chuva, lavagens, esgoto e efluentes industriais, etc., além de reduzir o consumo de água disponível na natureza, cada vez mais escasso. Também reduz o impacto ambiental decorrente das barragens, reservações, bombeamento e adutoras.

Esquemas de reuso:

Reuso Convencional

Esquemas de reuso

Dificuldades tecnológicas de reuso (Fonte: Hiria)

 Segmento Municipal Industrial Óleo e Gás

Exemplos de reuso:

Klabin

Mundo

Relativamente ao destino de lodos e resíduos sólidos, as seguintes tecnologias estão disponíveis:

Alternativas de Tratamento

O porquê do tratamento de lodo pode ser evidenciado na figura a seguir, além do aspecto do valor econômico do lodo e resíduos:

dewatered sludge

importância do tratamento de lodo

A seguir, referencias mundiais de tratamento de biossólidos:

Mundo 2

Valor energético para o lodo.